E de olho nas novidades...

Amigos da nutrição

Alimentação e nutrição na terceira Idade

A alimentação, desde que nutricionalmente adequada, exerce papel fundamental na promoção, manutenção e na recuperação na saúde de pessoas idosas. Muitas das mudanças decorrentes do processo natural do envelhecimento podem ser atenuadas com uma alimentação balanceada e nutritiva.


De acordo com Salgado¹, a velhice prematura é causada na maioria das vezes por abusos alimentares e se a maioria dos homens e mulheres soubessem se alimentar desde a infância, a duração de suas vidas seria incomparavelmente maior. Inúmeros estudos sobre longevidade, tem mostrado a importância da redução do consumo de alimentos ricos em gordura e o aumento do consumo de alimentos de origem vegetal, ricos em fibras, vitaminas e minerais com ação antioxidante. 

O envelhecimento provoca modificações estruturais e funcionais nos tecidos do organismo e reduz a capacidade de multiplicação celular, que gera modificações nos órgãos, os quais passam a ter insuficiência diminuída. Essas mudanças levam o idoso muitas vezes a uma ingestão nutricional deficiente, assim como as doenças cronicas, o usos de múltiplos medicamentos, podendo o idoso desenvolver a desnutrição.


Dentre as mudanças que ocorrem no envelhecimento e que estão relacionadas à nutrição e à qualidade de vida do idoso, destacam-se: 

* Diminuição da papilas gustativas, do olfato, da secreção salivar e das peças dentárias que levam a uma alteração da sensibilidade do gosto doce e salgado e redução da capacidade de mastigação e de deglutição do alimento;

* Diminuição da secreção enzimática que resulta em má digestão, má absorção de nutrientes e redução dos movimentos gastrointestinais;

* Declínio da função imunológica que se dá pela deficiência de vitaminas, minerais e proteínas 

* A influência dos fatores sociais como a perda do cônjuge, isolamento social e depressão, aposentadoria, e a "sensação de velhice" que remete ao idoso o sentimento de "inutilidade". 

O isolamento social predispõe ao idoso a falta de autocuidado fazendo com que este se alimente mal, em determinados casos, observa-se a tendência ao consumo aumentado de alimentos industrializados, de fácil e rápido preparo, porém com baixo valor nutricional.
                                                             
Algumas alternativas como uma alimentação balanceada, a pratica de atividade física, a inserção do idoso em grupos da terceira idade, o desenvolvimento de atividades que lhe dê prazer, a socialização familiar, podem motivar o idoso a alcançar a qualidade de vida e longevidade, é claro com muito bom senso e sempre respeitando os limites de cada um. Procure um nutricionista para um acompanhamento nutricional balanceado dentro das suas necessidades alimentares e feliz terceira idade!


1- SALGADO, J.M. Nutrição na terceira idade.